Sobre mim

Minha foto

Uma mulher que acredita em Deus, que ama a vida, sonhadora, romântica e que aprendeu a respeitar as diferenças. Amo a Vida e agradeço a Deus todos os dias por ter me dado este presente divino que é VIVER!

"Tenho fases, como a lua  Fases de andar escondida, fases de vir para a rua...  Perdição da minha vida!  Perdição da vida minha!  Tenho fases de ser tua, tenho outras de ser sozinha.  Fases que vão e que vêm,  no secreto calendário  que um astrólogo arbitrário inventou para meu uso.  E roda a melancolia seu interminável fuso!  Não me encontro com ninguém (tenho fases, como a lua...)  No dia de alguém ser meu não é dia de eu ser sua...  E, quando chega esse dia, o outro desapareceu...  "


AVISO IMPORTANTE:

A ordem das páginas, arquivos, links, gadgets estão abaixo das postagens

A Tribo Himba da Namíbia

"A tribo Himba é uma das mais fascinantes de África. É um perfeito matriarcado. Aí quem mandam são as mulheres. Elas são as donas dos filhos, das casas, do gado e de todos os apetrechos que existem nas aldeias.

Vivem na Namíbia e em parte do Deserto do Namibe em Angola. São criadores de gado excepcionais. Sabem tanto de gado como os Massai do Kenia ou os Dinkas do Sudão. A principal base da sua alimentação é o leite e a carne.

A primeira impressão que se tem deste povo é a de que para eles o tempo parou. Mulheres nuas e suas longas tranças, corpos pintados com uma tinta naturalmente vermelha e muitos adornos. Elas amamentam bebés, riscam gravetos para fazer fogo e cozinham em panelas de ferro. Este povo manteve as tradições centenárias quase intactas, ainda que os que habitam a Namíbia tivessem sofrido a influência dos missionários e da marcha do progresso.

De acordo com esta jovem da Tribo Himba que teve acesso a educação e a civilização, uma dessas tradições é o hábito das mulheres de cobrirem o corpo com um óleo avermelhado, mistura de banha de boi com uma pedra local, espécie de argila, que protege a pele do vento e do sol, bem como o dos penteados sumamente elaborados, enfeitados com peças de couro de metal, também eles untados com a mesma mistura, fazendo-as despender todos os dias várias horas a cuidar da sua beleza. São elas quem mais impressionam, pelo porte altivo.

Ela explica ainda que as mulheres Himbas são peritas na arte e por via disso são a alma da tribo, porque mantêm a economia das suas casas e criam os filhos à sua maneira, com um carinho desvelado. Elas deslocam-se aos grandes centros urbanos namibianos como a capital Veendoek de quando em vez com o objectivo de venderem a sua arte e no final regressam ao seu mundo rústico.

Vestem-se com peles rusticamente curtidas, sem nunca querer usar qualquer peça de vestimenta europeia. Quando os missionários alemães que colonizaram a Namibia lhes quiseram fazer ver a "vergonha" de andar vestidos assim, os Himbas retiraram-se para o mais profundo do deserto, e assim, não se deixaram contaminar com a ridícula forma de pensar dos missionários, que nunca entenderam que a religião que lhes estavam impondo, ia acabando ou modificando as suas ancestrais raízes.

As himbas também comandam uma sociedade poligâmica, em que cada mulher pode ter relações sexuais com vários homens. Enfim, são belezas africanas que muito teriam a ensinar aos entendidos, no campo da cosmética, quanto aos segredos de como possuir uma pele lisa, aveludada, e sem defeitos.

Fonte: TIM
Data: 24/03/2010"










































































2 comentários :

  1. Gostei de aprender coisas sobre a tribo himba. Se não fosse o programa "perdidos na tribo" nunca me tinha interessado por tribos.

    ResponderExcluir
  2. era um sitio onde adorava ir, pois as pessoas sao unicas,com uma riqueza enorme,pois sao sinceras, humildes, extraordinarias.ja me fartei de ver voos. mas ainda nao descobri a localizaçao exacta

    ResponderExcluir

->